RSS
email

PCR

A Polymerase Chain Reaction (PCR) é a técnica mais usada para copiar um trecho de ADN. A imagem abaixo esquematiza o processo (1).

Image:PCR.svg

No passo 1 a cadeia dupla de ADN é separada aquecendo a solução. No passo 2 arrefece-se a solução e os primers agarram o ADN nas extremidades da região a amplificar. Os primers são pequenos trechos de ADN com cerca de 20 a 30 nucleótidos sintetizados com a sequência do ADN nos pontos onde queremos que encaixem. Em seguida a polimerase começa a alongar os pequenos primers catalisando a ligação de nucleótidos à cadeia em crescimento. Como cada tipo de nucleótido (A, T, G, C) apenas encaixa num tipo específico da cadeia complementar (A com T e G com C), a cadeia gerada é complementar à original.

Depois é repetir isto vinte ou trinta vezes. O aquecimento separa (desnatura) as cadeias, o arrefecimento faz encaixar (hibridar) os primers nas extremidades e a polimerase sintetiza uma cadeia complementar a partir de cada primer. Cada ciclo duplica a quantidade de ADN da região a amplificar e basta umas dezenas de ciclos para obter milhões de vezes a quantidade inicial. É isto que permite isolar trechos de ADN a partir de uma amostra biológica e obter quantidade suficiente para sequenciar um gene, identificar um indivíduo e assim por diante.

In ktreta

Bookmark and Share

7 comentários:

Abobrinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dário Cardina Codinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Abobrinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Abobrinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Abobrinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Ludwig Krippahl disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dário Cardina Codinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

28/01/2008

PCR

A Polymerase Chain Reaction (PCR) é a técnica mais usada para copiar um trecho de ADN. A imagem abaixo esquematiza o processo (1).

Image:PCR.svg

No passo 1 a cadeia dupla de ADN é separada aquecendo a solução. No passo 2 arrefece-se a solução e os primers agarram o ADN nas extremidades da região a amplificar. Os primers são pequenos trechos de ADN com cerca de 20 a 30 nucleótidos sintetizados com a sequência do ADN nos pontos onde queremos que encaixem. Em seguida a polimerase começa a alongar os pequenos primers catalisando a ligação de nucleótidos à cadeia em crescimento. Como cada tipo de nucleótido (A, T, G, C) apenas encaixa num tipo específico da cadeia complementar (A com T e G com C), a cadeia gerada é complementar à original.

Depois é repetir isto vinte ou trinta vezes. O aquecimento separa (desnatura) as cadeias, o arrefecimento faz encaixar (hibridar) os primers nas extremidades e a polimerase sintetiza uma cadeia complementar a partir de cada primer. Cada ciclo duplica a quantidade de ADN da região a amplificar e basta umas dezenas de ciclos para obter milhões de vezes a quantidade inicial. É isto que permite isolar trechos de ADN a partir de uma amostra biológica e obter quantidade suficiente para sequenciar um gene, identificar um indivíduo e assim por diante.

In ktreta

7 comentários:

Abobrinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dário Cardina Codinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Abobrinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Abobrinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Abobrinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Ludwig Krippahl disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dário Cardina Codinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin