RSS
email

Design Inteligente??

O fundamentalismo cristão nasce nos ambientes protestantes e caracteriza-se pela decisão de interpretar literalmente as Escrituras. Mas para que possa haver uma interpretação literal das escrituras, é preciso que estas possam ser livremente interpretadas pelo crente, e isto é típico do protestantismo. Não pode haver fundamentalismo católico porque a interpretação das Escrituras é mediada pela Igreja.

Já com os padres se tinha desenvolvido uma hermenêutica mais flexível, como a de Santo Agostinho, que não hesitava em admitir que a Bíblia recorria com frequência a metáforas e alegorias, e que os sete dias da Criação podiam ter sido sete milénios.

Uma vez admitindo que os sete dias da Criação são um conto poético que pode ser interpretado para além da sua letra, o Génesis parece dar razão a Darwin: primeiro tem lugar uma espécie de Big Bang, com a explosão de Luz, depois os planetas ganham forma e a Terra sofre os grandes choques geológicos (as terras separam-se do mar), em seguida aparecem os vegetais, os frutos e as sementes, e por fim as águas começam a fervilhar com seres vivos (a vida surge a partir da água), os pássaros levantam voo, e só depois, aparecem os mamíferos (é imprecisa a posição genealógica dos répteis, mas não se pode exigir demasiado do Génesis).

No fim aparece o homem que é criado a partir do barro, ou seja, de matéria precedente. Mais evolucionista do que isto não pode ser.

O que é que a teologia católica pretexta para não se identificar com um evolucionismo materialista? Tudo é obra de Deus, como é óbvio, e também que na escala evolutiva se verifica um salto qualitativo, quando Deus introduziu num organismo vivo uma alma racional imortal. É apenas este o ponto em que se funda a batalha materialismo/espiritualismo.

Um aspecto interessante nos EUA para reintroduzir a doutrina criacionista nas escolas é que não se está a falar tanto de criação divina quanto de “Desenho Inteligente”.

A ideia é: não queremos impor-vos a presença de um barbudo antropomórfico, queremos apenas que aceitem que, a ter existido um desenvolvimento evolutivo, tal não aconteceu ao acaso mas de acordo com um plano que não pode deixar de depender de uma qualquer forma de Mente (é o mesmo que admitir que o “Desenho Inteligente” admite um Deus panteísta em vez de transcendente).

Curioso é que o Desenho Inteligente não exclua um processo casual que se processa através de tentativas e erros, como o darwinismo, de modo que só sobrevivem os indivíduos que melhor se adaptam ao meio ambiente no decurso da luta pela vida.

Como fazer uma estátua a partir de um bloco de pedra, a imagem da estátua vai aparecendo por tentativas deitando-se fora o excesso.

Um Desenho Inteligente pode manifestar-se através de uma série de aceitações e repulsas daquilo que o caso oferece. Temos de decidir se primeiro está o Desenho, que escolhe e rejeita, ou se é o Caso que, aceitando e rejeitando, se manifesta como a única forma de Inteligência – o que equivaleria a dizer que é o Caso que faz Deus.

Umberto Eco – A Passo de Carangueijo


Bookmark and Share

5 comentários:

nate nine disse...

Não sei se todo o texto foi escrito por Umberto Eco, mas fazer uma equivalência evolucionista à criação de Adão é a mesma coisa que dizer que a criação de Eva a partir de uma costela se trata de um caso de clonagem!!
Talvez Umberto Eco, com todo o respeito que ele merece e também o autor do post, devam aprofundar-se um pouco mais no que diz respeito ao Design Inteligente e então depois fazer um juizo de valor ou uma pergunta retórica (caso deste post).

Dário Cardina Codinha disse...

Este texto foi retirado do seu mais recente livro, que esteve há cerca de duas semanas no top 10 da Bertrand.
Cuidado! criar Eva a partir duma costela de Adão não é clonagem, é um erro muito grave! Clonagem é a criação de um ser fisiologicamente idêntico (e sim, a clonagem é possível!).
No entanto obrigado por teres dado a tua opinião acerca deste post. Ainda não é desta que há debate com evidências científicas.... Um dia... =)
Queres um post mais aprofundado? Como os posts anteriores?
Umberto Eco é um grande cérebro italiano e os argumentos dele têm sentido, repara bem nos argumentos que ele utiliza.

Com os melhores cumprimentos
Dário S. Cardina Codinha
www.ualg.pt/nebi

nate nine disse...

não acredito que se consiga resumir este tema a um post, mas podes tentar...
debate com evidências científicas...é só surgir a oportunidade. ;)
Eu conheço alguma coisa de Umberto Eco, já estudei alguma coisa ao nivel da semiótica até já vi "O nome da rosa" e tudo. Quanto aos argumentos, não se deve dizer que o relato do genesis é evolucionista, a criação de Eva é um exemplo que contradia essa teoria.

Daniel disse...

Bem, está interessante, bonito até, mas não quer dizer que esteja certo.
O sr. humberto Eco até escreve de forma correcta, mas existe um pormenor que ele se esquecue.
O darwinismo defende que todos vimos de uma molecula unicelular, sem vida, inteligência ou complexidade, e não da forma como ele apresentou.
depois o relato da bíblia em relação à criação do homem, não dá espaço a evolução. Aconselho-te a te informares do significado da palavra "bara", que salienta criação num só acto.
Depois temos um problema, se existe evolução, ondes estão os fosséis dos intermediários entre os homens e os seus antecessores. Todas as raças aparecem com os seus fosseis sem vestigios de evolução.

Quando puderes podes voltar ao meu blog, já respondi ao teu post.

www.danielaurelio.blogspot.com

Dário Cardina Codinha disse...

É óbvio que não se consegue resumir o tema a um post. É um tema à primeira vista simples mas torna-se incrivelmente complexo, entrando em temas muito pouco conhecidos por muita gente, como é o caso a cosmologia e da genética. Porque é que a criação de Eva contradiz a teoria?
O darwinismo… bah bah bah… “molécula unicelular”? “sem vida”?? Há algum problema aqui…. Pois bem. Uma molécula não é unicelular; segundo, se é uma célula tem vida.
Explica como é que “não dá espaço a evolução”.
Em relação aos fósseis parece que leste um artigo de 1975. A ciência avança. Podes ler artigos actuais em que se descobriram novas evidências… enfim… actualidade. Por acaso não sei muito sobre paleontologia, embora tenha alguns livros. As minhas áreas são mesmo Cosmologia, Astrofísica e Genética.

www.ualg.pt/nebi

08/03/2007

Design Inteligente??

O fundamentalismo cristão nasce nos ambientes protestantes e caracteriza-se pela decisão de interpretar literalmente as Escrituras. Mas para que possa haver uma interpretação literal das escrituras, é preciso que estas possam ser livremente interpretadas pelo crente, e isto é típico do protestantismo. Não pode haver fundamentalismo católico porque a interpretação das Escrituras é mediada pela Igreja.

Já com os padres se tinha desenvolvido uma hermenêutica mais flexível, como a de Santo Agostinho, que não hesitava em admitir que a Bíblia recorria com frequência a metáforas e alegorias, e que os sete dias da Criação podiam ter sido sete milénios.

Uma vez admitindo que os sete dias da Criação são um conto poético que pode ser interpretado para além da sua letra, o Génesis parece dar razão a Darwin: primeiro tem lugar uma espécie de Big Bang, com a explosão de Luz, depois os planetas ganham forma e a Terra sofre os grandes choques geológicos (as terras separam-se do mar), em seguida aparecem os vegetais, os frutos e as sementes, e por fim as águas começam a fervilhar com seres vivos (a vida surge a partir da água), os pássaros levantam voo, e só depois, aparecem os mamíferos (é imprecisa a posição genealógica dos répteis, mas não se pode exigir demasiado do Génesis).

No fim aparece o homem que é criado a partir do barro, ou seja, de matéria precedente. Mais evolucionista do que isto não pode ser.

O que é que a teologia católica pretexta para não se identificar com um evolucionismo materialista? Tudo é obra de Deus, como é óbvio, e também que na escala evolutiva se verifica um salto qualitativo, quando Deus introduziu num organismo vivo uma alma racional imortal. É apenas este o ponto em que se funda a batalha materialismo/espiritualismo.

Um aspecto interessante nos EUA para reintroduzir a doutrina criacionista nas escolas é que não se está a falar tanto de criação divina quanto de “Desenho Inteligente”.

A ideia é: não queremos impor-vos a presença de um barbudo antropomórfico, queremos apenas que aceitem que, a ter existido um desenvolvimento evolutivo, tal não aconteceu ao acaso mas de acordo com um plano que não pode deixar de depender de uma qualquer forma de Mente (é o mesmo que admitir que o “Desenho Inteligente” admite um Deus panteísta em vez de transcendente).

Curioso é que o Desenho Inteligente não exclua um processo casual que se processa através de tentativas e erros, como o darwinismo, de modo que só sobrevivem os indivíduos que melhor se adaptam ao meio ambiente no decurso da luta pela vida.

Como fazer uma estátua a partir de um bloco de pedra, a imagem da estátua vai aparecendo por tentativas deitando-se fora o excesso.

Um Desenho Inteligente pode manifestar-se através de uma série de aceitações e repulsas daquilo que o caso oferece. Temos de decidir se primeiro está o Desenho, que escolhe e rejeita, ou se é o Caso que, aceitando e rejeitando, se manifesta como a única forma de Inteligência – o que equivaleria a dizer que é o Caso que faz Deus.

Umberto Eco – A Passo de Carangueijo

5 comentários:

nate nine disse...

Não sei se todo o texto foi escrito por Umberto Eco, mas fazer uma equivalência evolucionista à criação de Adão é a mesma coisa que dizer que a criação de Eva a partir de uma costela se trata de um caso de clonagem!!
Talvez Umberto Eco, com todo o respeito que ele merece e também o autor do post, devam aprofundar-se um pouco mais no que diz respeito ao Design Inteligente e então depois fazer um juizo de valor ou uma pergunta retórica (caso deste post).

Dário Cardina Codinha disse...

Este texto foi retirado do seu mais recente livro, que esteve há cerca de duas semanas no top 10 da Bertrand.
Cuidado! criar Eva a partir duma costela de Adão não é clonagem, é um erro muito grave! Clonagem é a criação de um ser fisiologicamente idêntico (e sim, a clonagem é possível!).
No entanto obrigado por teres dado a tua opinião acerca deste post. Ainda não é desta que há debate com evidências científicas.... Um dia... =)
Queres um post mais aprofundado? Como os posts anteriores?
Umberto Eco é um grande cérebro italiano e os argumentos dele têm sentido, repara bem nos argumentos que ele utiliza.

Com os melhores cumprimentos
Dário S. Cardina Codinha
www.ualg.pt/nebi

nate nine disse...

não acredito que se consiga resumir este tema a um post, mas podes tentar...
debate com evidências científicas...é só surgir a oportunidade. ;)
Eu conheço alguma coisa de Umberto Eco, já estudei alguma coisa ao nivel da semiótica até já vi "O nome da rosa" e tudo. Quanto aos argumentos, não se deve dizer que o relato do genesis é evolucionista, a criação de Eva é um exemplo que contradia essa teoria.

Daniel disse...

Bem, está interessante, bonito até, mas não quer dizer que esteja certo.
O sr. humberto Eco até escreve de forma correcta, mas existe um pormenor que ele se esquecue.
O darwinismo defende que todos vimos de uma molecula unicelular, sem vida, inteligência ou complexidade, e não da forma como ele apresentou.
depois o relato da bíblia em relação à criação do homem, não dá espaço a evolução. Aconselho-te a te informares do significado da palavra "bara", que salienta criação num só acto.
Depois temos um problema, se existe evolução, ondes estão os fosséis dos intermediários entre os homens e os seus antecessores. Todas as raças aparecem com os seus fosseis sem vestigios de evolução.

Quando puderes podes voltar ao meu blog, já respondi ao teu post.

www.danielaurelio.blogspot.com

Dário Cardina Codinha disse...

É óbvio que não se consegue resumir o tema a um post. É um tema à primeira vista simples mas torna-se incrivelmente complexo, entrando em temas muito pouco conhecidos por muita gente, como é o caso a cosmologia e da genética. Porque é que a criação de Eva contradiz a teoria?
O darwinismo… bah bah bah… “molécula unicelular”? “sem vida”?? Há algum problema aqui…. Pois bem. Uma molécula não é unicelular; segundo, se é uma célula tem vida.
Explica como é que “não dá espaço a evolução”.
Em relação aos fósseis parece que leste um artigo de 1975. A ciência avança. Podes ler artigos actuais em que se descobriram novas evidências… enfim… actualidade. Por acaso não sei muito sobre paleontologia, embora tenha alguns livros. As minhas áreas são mesmo Cosmologia, Astrofísica e Genética.

www.ualg.pt/nebi

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin