RSS
email

Mutações e Recombinação Genética



O Mats, num comentário do Génesis Contra Darwin escreve isto:

"Resistência às bactérias nãoo é um fenómeno evolutivo uma vez que nada de novo é criado, mas sim ocorre uma recombinação de genes que já existem.

Mutação não é sinónimo de evolução."

Ele não é da área da ciência, como tal terei de usar letras como A, B e C como exemplos de bases azotadas e fazer metáforas com o alfabeto. Sim porque no nosso genoma, ao microscópio, não vemos G, T, C ou A, vemos estruturas e,a elas damos nomes.


Para o Mats uma alteração genética nunca pode formar informação nova porque vê que um A não pode gerar um B por magia, tal como um certo deus criou o ser humano (aí já pode haver magia). De facto não há magia nenhuma, há compreensão científica de como as coisas funcionam.


Imaginemos 2 sequências genómicas:


1-ABCDEFGHI
2-RAYGUCBDI


Têm mais ou menos 50% das mesmas letras mas são muito diferentes, vejamos:


A proteína resultante em 1: ABC DEF GHI
A proteina resultante em 2: RAY GUC BDI


Nenhum dos aminoácidos é igual, a proteína seria diferente, não efectuaria o seu trabalho. Talvez fosse uma proteina que efectuasse o mesmo trabalho com mais eficácia. As bactérias usam proteinas ligeiramente diferentes para sobreviver num meio com menos oxigénio, por exemplo. É um fenómeno destes que está por detrás duma resistência.



Uma mutação pode ser pontual ou numa zona vasta, pode até incluir cromossomas inteiros. Podem ser delecções, inserções, transposões ou inversões. Após a alteração a mutação pode ter efeitos ou pode ser silenciosa.


Delecções:
ABCDEFGHI     ->    ACDEFGHI      o B foi eliminado
proteina final - ACD EFG HI


Inserções:

ABCDEFGHI     ->    AMCDEFGHI      o M foi inserido
proteina final - ABM CDE FGH I


Como podemos ver apenas por estes dois exemplos, a proteina final pode ser totalmente diferente, uma sequência genética pode codificar para uma proteina totalmente diferente, ou não, dependendo da zona alvo da mutação.

Bookmark and Share

8 comentários:

Wilson Correia disse...

Boas Dário!!

Tens aqui um blog espetacular! gosto muito desta nova aparencia! :)

Continua com os teus posts intressantes! ;)

ACrivelli - A Tribuna disse...

Essa questão das combinações genéticas realmente são muito interessantes mas...,será que isso é realmente verdadeiro?
Onde esta escrito que isso é verdade?
Nos livros de ciência?
Mas se pensarmos hipotéticamente que essas e outros informações não são totalmente verdadeiras, como eu acredito que não são, e estão em livros de ciências, significa que os livros de ciências tambem são pouco confiáveis já que contém informações de confiabilidade discutível, não é mesmo ?
Nesse post vi apenas combinações, melhor dizendo, uma sopa de letrinhas:

ABCDEFGHI -> AMCDEFGHI o M foi inserido
proteina final - ABM CDE FGH I

Você pode comprovar isso?
Mostre-me as provas, mas não me venha com Ctrl + C de teorias científicas que não foram você que as comprovou. Quero a demosntração das suas provas.
E aí, és capaz?

Dário Cardina Codinha disse...

Obrigado Wilson,

ACrivelli,

A ciência é feita de demonstrações e de experiências que provam o teoria.

Dizer que a maçã cai devido à gravidade quer dizer que alguém provou que há um campo gravítico e muita gente demonstrou. Agora não tenho que demonstrar e provar tudo o que digo, é ridículo. Não vou estar a despejar centenas de páginas académicas e centenas de artigos científicos para dizer que a maçã cai devido à gravidade. Podes ir ver às variadas bases de dados científicas gigantes as premissas da genética. Podes ler uns livros como o "Genes" ou o "Molecular Biology of the Cell".

Adriano Crivelli disse...

Compreendeu agora amigo Dário?
A povas que você me pede acerca daquilo que eu acredito podem ser encontradas em todas as partes na internet. Claro que não sou eu que as provarei para você. Disponibilize um pouquinho de seu tempo e esvasie-se de seus preconceitos pró-ciência, seus dogmas e paradígmas cheios de teias de aranha e verá que existem diversos caminhos que te levaram ao conhecimento que EU considero primordial e fundamental.
Quando lhe peço provas, não quero que me prove asolutamente nada, quero apenas que você entenda que a diferença entre nós dois é o ponto de vista, nada mais que isso. Você acedita "nisso" e eu "naquilo".

OBS:
Mesmo que eu fosse procurar as provas que você me sugere, eu as refutaria pois não acreditaria em algo que não foi eu quem as experimentou ou provou. Pode haver manipulação ou distorção de resultados. Então da mesma forma que nada do que eu te digo lhe serve como prova, o mesmo acontece com aquilo você me diz.
Abraços fraternais

Fada do bosque disse...

Olá Dáriozinho! :))
Tens um pedido de amizade de Salomé Silva, no facebook aceita por favor, é a minha filha e adorou o teu blogue bem como todos os teus temas.
Aliás quer aprender contigo. Obrigada e bom Domingo. :))

Fada do bosque disse...

Dário, chama-se a isto "meter uma cunha", mas a miúda não é blogger. :))
Obrigada por teres aceitado. :)
Boa semana. :))

Dário Cardina Codinha disse...

Olá fadinha,

Nunca se sabe, poderá vir a ser uma bloger. É uma prática muito boa, fomenta o espírito crítico e aprende-se muito.

Dário Cardina Codinha disse...

1- “A povas que você me pede acerca daquilo que eu acredito podem ser encontradas em todas as partes na internet.”
Eu posso ir à internet procurar algo mas tenho de ser suficientemente crítico para saber se a informação vale a pena. Tenho, também, de ter conhecimento base para saber se a informação da net está correcta. Eu acredito que um martelo e uma pena não caem ao mesmo tempo na Terra por experimentações de outros cientistas e pela matemática. Também é fácil experimentar em casa. São informações testadas.
2- “não sou eu que as provarei para você.”

Eu preciso de sustentação teórica e, se possível, experimental. Uns artigos ajudam.

3- “Você acedita "nisso" e eu "naquilo".”
A crença é como os gostos. Eu gosto de azul e tu de rosa. Não há nada a discutir, a não ser quando se trata de um assunto de investigação, de busca e de fundamentos. Como referi acredito na hipótese de que o martelo e a pena não caem ao mesmo tempo na Terra porque a matemática associada está correcta e até há artigos que o demonstram, mas não acredito que caiam ao mesmo tempo na Terra pois a equação deixaria de fazer sentido e porque o mesmo não se vê.

4- Não há manipulação de resultados. Imagina o que é a equação da queda livre ter sido manipulada. Não faz sentido pois a realidade mostra que está correcta. Ou vais-me dizer que a realidade é manipulada para que a equação manipulada funcione?

27/01/2010

Mutações e Recombinação Genética



O Mats, num comentário do Génesis Contra Darwin escreve isto:

"Resistência às bactérias nãoo é um fenómeno evolutivo uma vez que nada de novo é criado, mas sim ocorre uma recombinação de genes que já existem.

Mutação não é sinónimo de evolução."

Ele não é da área da ciência, como tal terei de usar letras como A, B e C como exemplos de bases azotadas e fazer metáforas com o alfabeto. Sim porque no nosso genoma, ao microscópio, não vemos G, T, C ou A, vemos estruturas e,a elas damos nomes.


Para o Mats uma alteração genética nunca pode formar informação nova porque vê que um A não pode gerar um B por magia, tal como um certo deus criou o ser humano (aí já pode haver magia). De facto não há magia nenhuma, há compreensão científica de como as coisas funcionam.


Imaginemos 2 sequências genómicas:


1-ABCDEFGHI
2-RAYGUCBDI


Têm mais ou menos 50% das mesmas letras mas são muito diferentes, vejamos:


A proteína resultante em 1: ABC DEF GHI
A proteina resultante em 2: RAY GUC BDI


Nenhum dos aminoácidos é igual, a proteína seria diferente, não efectuaria o seu trabalho. Talvez fosse uma proteina que efectuasse o mesmo trabalho com mais eficácia. As bactérias usam proteinas ligeiramente diferentes para sobreviver num meio com menos oxigénio, por exemplo. É um fenómeno destes que está por detrás duma resistência.



Uma mutação pode ser pontual ou numa zona vasta, pode até incluir cromossomas inteiros. Podem ser delecções, inserções, transposões ou inversões. Após a alteração a mutação pode ter efeitos ou pode ser silenciosa.


Delecções:
ABCDEFGHI     ->    ACDEFGHI      o B foi eliminado
proteina final - ACD EFG HI


Inserções:

ABCDEFGHI     ->    AMCDEFGHI      o M foi inserido
proteina final - ABM CDE FGH I


Como podemos ver apenas por estes dois exemplos, a proteina final pode ser totalmente diferente, uma sequência genética pode codificar para uma proteina totalmente diferente, ou não, dependendo da zona alvo da mutação.

8 comentários:

Wilson Correia disse...

Boas Dário!!

Tens aqui um blog espetacular! gosto muito desta nova aparencia! :)

Continua com os teus posts intressantes! ;)

ACrivelli - A Tribuna disse...

Essa questão das combinações genéticas realmente são muito interessantes mas...,será que isso é realmente verdadeiro?
Onde esta escrito que isso é verdade?
Nos livros de ciência?
Mas se pensarmos hipotéticamente que essas e outros informações não são totalmente verdadeiras, como eu acredito que não são, e estão em livros de ciências, significa que os livros de ciências tambem são pouco confiáveis já que contém informações de confiabilidade discutível, não é mesmo ?
Nesse post vi apenas combinações, melhor dizendo, uma sopa de letrinhas:

ABCDEFGHI -> AMCDEFGHI o M foi inserido
proteina final - ABM CDE FGH I

Você pode comprovar isso?
Mostre-me as provas, mas não me venha com Ctrl + C de teorias científicas que não foram você que as comprovou. Quero a demosntração das suas provas.
E aí, és capaz?

Dário Cardina Codinha disse...

Obrigado Wilson,

ACrivelli,

A ciência é feita de demonstrações e de experiências que provam o teoria.

Dizer que a maçã cai devido à gravidade quer dizer que alguém provou que há um campo gravítico e muita gente demonstrou. Agora não tenho que demonstrar e provar tudo o que digo, é ridículo. Não vou estar a despejar centenas de páginas académicas e centenas de artigos científicos para dizer que a maçã cai devido à gravidade. Podes ir ver às variadas bases de dados científicas gigantes as premissas da genética. Podes ler uns livros como o "Genes" ou o "Molecular Biology of the Cell".

Adriano Crivelli disse...

Compreendeu agora amigo Dário?
A povas que você me pede acerca daquilo que eu acredito podem ser encontradas em todas as partes na internet. Claro que não sou eu que as provarei para você. Disponibilize um pouquinho de seu tempo e esvasie-se de seus preconceitos pró-ciência, seus dogmas e paradígmas cheios de teias de aranha e verá que existem diversos caminhos que te levaram ao conhecimento que EU considero primordial e fundamental.
Quando lhe peço provas, não quero que me prove asolutamente nada, quero apenas que você entenda que a diferença entre nós dois é o ponto de vista, nada mais que isso. Você acedita "nisso" e eu "naquilo".

OBS:
Mesmo que eu fosse procurar as provas que você me sugere, eu as refutaria pois não acreditaria em algo que não foi eu quem as experimentou ou provou. Pode haver manipulação ou distorção de resultados. Então da mesma forma que nada do que eu te digo lhe serve como prova, o mesmo acontece com aquilo você me diz.
Abraços fraternais

Fada do bosque disse...

Olá Dáriozinho! :))
Tens um pedido de amizade de Salomé Silva, no facebook aceita por favor, é a minha filha e adorou o teu blogue bem como todos os teus temas.
Aliás quer aprender contigo. Obrigada e bom Domingo. :))

Fada do bosque disse...

Dário, chama-se a isto "meter uma cunha", mas a miúda não é blogger. :))
Obrigada por teres aceitado. :)
Boa semana. :))

Dário Cardina Codinha disse...

Olá fadinha,

Nunca se sabe, poderá vir a ser uma bloger. É uma prática muito boa, fomenta o espírito crítico e aprende-se muito.

Dário Cardina Codinha disse...

1- “A povas que você me pede acerca daquilo que eu acredito podem ser encontradas em todas as partes na internet.”
Eu posso ir à internet procurar algo mas tenho de ser suficientemente crítico para saber se a informação vale a pena. Tenho, também, de ter conhecimento base para saber se a informação da net está correcta. Eu acredito que um martelo e uma pena não caem ao mesmo tempo na Terra por experimentações de outros cientistas e pela matemática. Também é fácil experimentar em casa. São informações testadas.
2- “não sou eu que as provarei para você.”

Eu preciso de sustentação teórica e, se possível, experimental. Uns artigos ajudam.

3- “Você acedita "nisso" e eu "naquilo".”
A crença é como os gostos. Eu gosto de azul e tu de rosa. Não há nada a discutir, a não ser quando se trata de um assunto de investigação, de busca e de fundamentos. Como referi acredito na hipótese de que o martelo e a pena não caem ao mesmo tempo na Terra porque a matemática associada está correcta e até há artigos que o demonstram, mas não acredito que caiam ao mesmo tempo na Terra pois a equação deixaria de fazer sentido e porque o mesmo não se vê.

4- Não há manipulação de resultados. Imagina o que é a equação da queda livre ter sido manipulada. Não faz sentido pois a realidade mostra que está correcta. Ou vais-me dizer que a realidade é manipulada para que a equação manipulada funcione?

Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin